Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos


Dicas e manutenção

A vida útil dos pneus depende de uma manutenção cuidadosa do motorista. Nesta área, a ANIP orienta sobre limite de segurança, pressão, o rodízio de pneus e dicas importantes para evitar o desgaste dos pneus.

Benefícios dos Pneus

O que a maioria dos usuários esquece é que o pneu não é só um componente importante para a performance do transporte, mas essencial à segurança. Fabricado para atender os hábitos de consumo, as condições climáticas e as características do sistema viário existente em cada país, o pneu é parte fundamental do cotidiano das pessoas.

Esse item básico da composição de um veículo é utilizado desde o lazer de uma família até práticas de serviços à sociedade como o transporte de pessoas e de carga. Para garantir a confiabilidade dos pneus dos carros de passeio, ônibus e caminhões, a indústria de pneumáticos realiza investimentos constantes em novas tecnologias, com o desenvolvimento de novos produtos que possam atender às exigências do consumidor.

Os fabricantes destacam como ponto importante a qualidade e a distinção dos materiais responsáveis pela produção dos pneus automotivos, que possuem certificação compulsória pelo INMETRO. Além disso, os pneus contam com a certificação da União Européia e do DOT – Departament of Transportation – dos Estados Unidos, condição essencial para a exportação desses pneus. O usuário do pneu conta também com garantia de cinco anos contra defeitos de fabricação.

Outro fator importante dos pneus são as informações nas laterais, dados imprescindíveis para controle do consumidor quanto à origem do pneu (data de fabricação, tipo de pneu, nome do fabricante, entre outros).

Cuidados como evitar a sobrecarga e a periódica manutenção dos pneus garantem a segurança de seus usuários, oferecendo rendimento e economia de combustível para carros e caminhões.

Limite de Segurança

O desgaste máximo do pneu (limite de segurança) é de 1.6 mm de profundidade dos sulcos. Abaixo dessa medida, o pneu já passa a ser considerado "careca". A resolução do Contran 558/80 estabelece que trafegar com pneus abaixo do limite é ilegal. O veículo pode ser apreendido.

Os pneus vêm com ressaltos na base dos sulcos para indicar o limite de segurança sem ter que se usar um medidor. Por isso, o motorista pode vistoriar bem o pneu periodicamente, sem necessidade de se deslocar a um estabelecimento comercial.

Veja as implicações do uso de pneus abaixo do limite:

  • Aumento da propensão de derrapagens laterais, mesmo em pista seca
  • O espaço necessário para frenagem aumenta, mesmo em pista seca
  • Não dão drenagem adequada de água, causando grande instabilidade em pistas molhadas
  • Aumenta o risco de furos e cortes na banda de rodagem

Manutenção Mecânica

Vários componentes mecânicos do veículo podem interferir na quilometragem dos pneus, ocasionando também desgastes prematuros e insegurança. Amortecedores ou molas, freios, rolamentos, eixos e rodas agem diretamente sobre os pneus.

Balanceamento de Roda

O desbalanceamento das rodas, além de desconforto ao dirigir, causa perda de tração, de estabilidade, desgastes acentuados em componentes mecânicos e no próprio pneu.

Deve-se balancear as rodas sempre que surgirem vibrações, na troca ou conserto do pneu, ou a cada 10.000 km rodados.

Alinhamento de Direção

Desvios mecânicos provocam desgastes prematuros de pneus e desalinhamento de direção, deixando o veículo instável e inseguro.

Deve-se alinhar o veículo quando sofrer impactos na suspensão, na troca de pneus ou quando apresentarem desgastes irregulares, quando forem substituídos componentes da suspensão, quando o veículo estiver puxando para um lado, ou a cada 10.000 km.

Pressão dos Pneus (calibração)

Baixa Pressão

O descuido com a calibragem dos pneus traz sérias conseqüências para a durabilidade do produto. A baixa pressão é um dos inimigos do pneu. Apresenta vários problemas, envolvendo inclusive riscos de segurança, como:

  • Aceleração do desgaste geral do pneu (trabalha mais quente)
  • Aumento do desgaste nos ombros (apoio maior sobre esta área)
  • Maior consumo de combustível (maior resistência de rolamento)
  • Perda de estabilidade em curvas (alteração da área de contato com o solo)
  • Direção pesada e perda da capacidade de manejo (maior resistência)
  • Desgaste prematuro dos terminais de direção (aumento de exigência)

Excesso de Pressão

Os problemas de excesso de pressão são menores do que os da falta de pressão:

  • Desgaste mais acentuado no centro da rodagem (apoio maior sobre esta área)
  • Perda de estabilidade em curvas (menor área de contato com o solo)

O Rodízio dos Pneus

O rodízio serve para compensar a diferença de desgaste dos pneus, permitindo mais durabilidade e eficiência. Proporciona também melhor estabilidade, especialmente em curvas e freadas.

  • Mudança para pneus diagonais de passeio: a cada 5000 Km
  • Mudança para pneus radiais de passeio: a cada 8000 Km

Dicas Importantes para Evitar o Desgaste dos Pneus:

Para evitar que o pneu tenha desgaste excessivo e desnecessário, há algumas recomendações valiosas:

  • Calibre os pneus semanalmente de acordo com a indicação do manual do fabricante.
  • Faça rodízio de pneus.
  • Evite sobrecarga de peso.
  • Faça a manutenção preventiva de componentes do veículo que atuam diretamente sobre os pneus.
  • Alinhe o sistema de direção e suspensão, além do balanceamento de pneus conforme indicado pelo fabricante.
  • Utilize o pneu indicado para cada tipo de solo.
  • Observe periodicamente o indicador de desgaste de rodagem (TWI – Tread Wear Indicators), que existe em todo pneu para mostrar o momento certo da troca.
  • Evite o contato do pneu com derivados de petróleo ou solventes, que atacam a borracha.
  • Evite a direção agressiva com freadas fortes e mudanças bruscas de direção.



Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos Todos os direitos reservados @2013

by contactonet